BOLHAS NO PÉ


     COMO EVITAR E O QUE FAZER QUANDO SURGIREM 

    
 Com a explosão da moda de caminhar em trilhas, montanha, praias e até mesmo peregrinar pelos mais diversos caminhos exotéricos e espiritualistas, milhares de pessoas tem recorrido às lojas especializadas de esporte de aventura e comprando suas botas de trekking, de forma indiscriminada.



     Em minhas aulas do Curso de Trekking promovido pela Papa Capim – Trekking & Expedições, sempre deixo claro que para o praticante de caminhada em trilhas, seja hiking ou trekking, os maiores investimentos que tem que ser feitos, na compra de seus equipamentos são a mochila e as botas. Porque são eles que irão suportar o peso nas costas e quem irá te levar pelos lugares mais incríveis.´


     Apesar de estarmos distantes do conforto de casa, quando estamos numa trilha, não há coisa pior estar carregando uma mochila mal posicionada e pior ainda, estar com a bota molhada, causando dores por atritos que certamente irão criar bolhas.



     Anos atrás, quando era bem mais jovem, minha avó me deu uma sugestão que funcionou. Andar mais descalço em casa. Com isso a sola de meus pés ficou mais grossa, o que contribuiu muito para uma melhor resistência à tais situações. Depois de pesquisar sobre a veracidade disso, conversando com podólogas, conclui a veracidade do fato e raramente tenho bolhas nos pés.


 TRILHEIRO E TRILHEIRA NÃO TEM COMO TER PEZINHO DE PRINCESA NÃO VIU?



COMO SURGEM AS BOLHAS NO PÉ


     As incômodas bolhas nos pés são frequentes em quem pratica esportes outdoor   (mesmo em quem usa meias respiráveis). Elas aparecem nos pontos de tração, como planta dos pés ou nos pontos de atrito, entre o pé e o calçado ou entre o pé e a meia. 

     Esse atrito, "esfrega-esfrega" entre a meia e os pés, vai desgatando a epiderme em suas diversas camadas até que finalmente, ocorre a perda de tecido epitelial superior, chegando finalmente à primeira cada da Derme, que é mais avermelhada por ser rica em vasos capilares e extremamente sensível.

   Outra causadora de bolhas é a umidade nos pés. Botas as quais não são impermeáveis ( alias, diga-se de passagem que toda bota é semi-impermeável ), aumentam a predisposição de bolhas, ao permitirem que os pés fiquem molhados. Por isso, quando for comprar sua bota, compre uma bota de marca tradicional, conhecida e recomendada por trilheiros e montanhistas experientes. 


     ESCOLHENDO A BOTA PARA SUA TRIP

     Em primeiro lugar, muito cuidado na hora de comprar sua bota de trekking. Procure um par confortável, que a bota seja forrada, com as costuras internas protegidas por um forro e que se ajuste adequadamente ao pé. Existe ainda pessoas que compram a bota, com uma numeração maior a que se usa mas, isso às vezes não funciona com todos. Cabe lembrar que durante sua caminhada, o pé irá inchar e isso poderá também ser um fator de geração de bolhas, mas para outras pessoas, os pés simplesmente não incham e o que seria uma prevenção, se transforma em um verdadeiro tormento. 


BOTA DE TREKKING, SE COMPRA EM LOJA ESPECIALIZADA DE ESPORTE OUT DOOR

     Quando for comprar sua bota, não vá a uma loja convencional de Shopping Center. Preferencialmente procure uma loja física especializada. A Fabi e eu recomendamos a loja Física, porque lá você pode ver a bota, experimenta-la no pé. Você sabia que algumas lojas tem até um mini campo de teste para quem vai experimentar a bota? São esteiras, corredores ou mesmo pranchas em que o comprador, usando a bota, sobe nelas e sente a aderência e estabilidade da bota.

     Nós aqui, não temos a intenção de fazer propaganda para ninguém, mas duas lojas que consideramos  seguras e muito competentes para a compra de botas são a Loja Pé na Trilha ( Rua Apeninos , 803 ) e as Lojas Mundo Terra, que possui três filiais em São Paulo. Nela, os vendedores, são trilheiros e montanhistas e portanto, tem competência e experiência suficiente para orienta-los a respeito das botas.


EVITANDO E TRATANDO AS BOLHAS 

EVITANDO BOLHAS 

1 - Evite meias de algodão - As meias de algodão encharcam facilmente e seguram a umidade. Com as meias úmidas, a pele amolece e permite que a fricção cause bolhas. Então, meia de algodão para caminhadas, nem pensar! você não quer meias que tenham 1% sequer de algodão.

2 - Abuse das meias de lã ou tecido sintético - São as melhores. Existe atualmente uma ampla variedade de meias para todos os gostos  e bolsos. Nossa sugestão  é que você use as meias de lã merino. São mais confortáveis e absorvem rapidamente o suor e o expelem com maior facilidade do que o algodão e demais tecidos. 

3 - Liners - O Liner é um tipo de meia para ser usada por baixo de outra meia mais grossa diminuindo a probabilidade de formação de bolhas e confeccionada em Lã de Merino. - Os liners desempenham um papel de grande importância para o pessoal que faz caminhadas mais longas e ocm meias mais "pesadas". As meias grossas as vezes irritam ou "lixam" os pés dos montanhistas por sua constituição. Para resolver esse problema, existem os liners que são meias bem finas e de material que permite evaporação muito rápida. Evitam o contato com a pele com meias mais ásperas e facilitam a transpiração, expelindo a umidade para a segunda meia. É comum tirar a bota e verificar que o liner está seco e a meia molhada.

4 - Esparadrapos como prevenção -  Se você possui pés muito sensíveis ou pontos de atrito já conhecidos nos seus pés, tente isola-los com pedaços de esparadrapo. Mas cuidado para não deixar que o esparadrapo embole ou faça um recorte  em cima do ponto de fricção. Se não, seu pesadelo será muito pior. Se você já tiver uma bolha, não use esse método, pois quando tirar a fita, a pele solta virá junto, abrindo ou piorando a ferida.

5 - Pomadas e vaselina - Algumas pessoas fazem uso de pomada ou vaselina para evitar pontos de atrito.  Não é recomendado, pois o efeito poderá ser exatamente o inverso e aí a tragédia estará feita. Isso acontecerá porque seus pés  ficarão deslizando dentro do calçado, criando maior atrito.

SE A BOLHA APARECER, CALMA!!!


Se mesmo com todas essas dicas, as bolhas apareceram e ameaçam sua trip virar um inferno, mantenha a calma. A Fabi, tem boas dicas para lhe dar:

  • EM HIPÓTESE ALGUMA ESTOURE A BOLHA. O ideal é que você tenha uma esterilizada ou esterilize na  hora, com um isqueiro. Fure a bolha, com uma agulha e linha  e atravesse-a por completo, constituindo um dreno, para que a pele não cole  e evita que esta se encha novamente com fluido.  ( veja o pé do Alex na foto abaixo )
Fure a bolha delicadamente e atravesse-a por completo, passando a linha também por completo. A linha chegou do outro lado, tire a agulha e deixe a linha. Faça um curativo oclusivo, sem pressão e prossiga na caminhada.

  • JAMAIS TIRE A PELE SOLTA. Se fizer isso, você irá ter no pé uma ferida extremamente dolorida e com maior risco de infecção.
  • AS POMADAS AJUDAM NA CICATRIZAÇÃO, mas não curam de um minuto para outro. Então, em alguns casos, se existirem muitas bolhas e estiverem já estouradas ou sangrando, abortar a expedição é melhor, do que sofrer por dias em áreas remotas, longe de um atendimento médico especializado, ideal para estes casos.
  • SE VOLTA NÃO FOR UMA OPÇÃO, coloque um pequeno pedaço de gaze exatamente em cima de onde a bolha se formou e isole tudo com um grande pedaço de esparadrapo. Certifique-se de que o esparadrapo e o curativo não vão se soltar e que não hajam costuras e nem dobras nele. Isole o ferimento em uma área bem com a Gaze e o esparadrapo.

  • SE A BOLHA ESTIVER SUJA DE LAMA OU ALGO SEMELHANTE, limpe e desinfete-a antes de fazer qualquer curativo. Limpe e seque seu calçado por dentro, antes de voltar a calça-lo e voltar a caminhar.

SEUS PÉS PRECISAM DE DESCANSO !!!

     Lembre-se que durante a caminhada, especialmente as mais longas, você precisa parar algumas vezes para tomar fôlego, aclimatar em roteiros de altitude, hidratar e alimentar-se para recuperar as energias. Em suas paradas mais longas, aproveite e tire os calçados, deixe os pés respirar e coloque as pernas para cima. 

     Ao invés de colocar a mochila como encosto para a cabeça e as costas, coloque-a como suporte para que suas pernas fiquem um pouco mais elevadas do que o resto do corpo, promovendo um melhor retorno venoso, além de tirar a pressão dos pés e restabelecendo o equilíbrio e facilitando o descanso geral.

     Acreditamos que seguindo essas dicas, você consiga se livrar das bolhas. 
     
     Boa Trips e.... SAUDAÇÕES VERDEJANTES!!!





Comentários

  1. É professor, eu já fui vítima da falta de conhecimento, fiz uma trilha no vale das ostras e fiquei o dia todo com os pés calçado de bota molhados e sem meias e adivinha...bolhas nos dedos dos pés e para completar...não tinha um kit de primeiros socorros. É foi um martírio para sair do local de mata fechada até eu me livrar delas.

    Agradeço pelo ensinamento aqui passado professor Alex.

    Abraços..

    ResponderExcluir
  2. Só informações fantásticas!! Parabéns ao pessoal. Vou estar sempre de olho pra aprender mais.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

PORQUE ESPORTISTAS DE AVENTURA DEVEM SABER TÉCNICAS DE PRIMEIROS SOCORROS